Foto: Sergio Lima/AFP

O presidente da República, Michel Temer, disse nesta terça-feira (8) que tem simpatia pelo parlamentarismo e que o Brasil, hoje adepto do presidencialismo, pode caminhar para isso. “De alguma maneira, estamos fazendo quase um pré-exercício do parlamentarismo. Em várias oportunidades, o Legislativo era tido como um apêndice do Executivo. No meu governo, não. O Legislativo é parceiro do Executivo. Temos trabalhado juntos”, afirmou em São Paulo, onde participou de evento da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

Se o Brasil caminhar de fato para o parlamentarismo, Temer acredita que deveria ser adotado o modelo francês ou o modelo português, “em que o presidente da República, eleito, tem uma presença significativa no espectro governativo”. “Se pudesse ser em 2018, seria ótimo, mas quem sabe se prepara o Parlamentarismo para 2022”, comentou.

Desembarque

O evento da Fenabrave também contou com a presença do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, mas Temer garantiu que não chegou a conversar com o tucano sobre o possível desembarque do PSDB do governo.