O presidente dos Estados Unidos disse nesta sexta-feira, 11, que uma opção militar pode ser adotada para solucionar a crise na Venezuela.  “Eu não descartaria”, disse Trump. “É certamente algo que podemos adotar”. O governo venezuelano ainda não respondeu às declarações do republicano, mas o presidente Nicolás Maduro frequentemente acusa os Estados Unidos de tentar derrubá-lo.

A declaração, rara e pouco usual em termos diplomáticos na América Latina, foi dada após o governo americano ter sancionado uma série de autoridades chavistas nas últimas semanas.

Nesta semana, o Departamento do Tesouro anunciou sanções contra oito membros da cúpula chavista, incluindo o irmão do presidente Hugo Chávez (1999-2013), Adán Chávez.

Maduro e seu vice-presidente Tareck el-Aissami também tiveram ativos bloqueados nos Estados Unidos e foram proibidos de entrar no país, assim como outros colaboradores próximos do líder bolivariano, como Delcy Rodríguez e Elias Jaua, e a cúpula do Tribunal Supremo de Justiça.

Com o agravamento da crise política na Venezuela, em abril, que já deixou 125 mortos, Trump aumentou as sanções e ameaçou Caracas com punições econômicas, que poderiam debilitar ainda mais a combalida economia local. A Venezuela vende cerca de 40% do seu petróleo para os EUA.